Inscreva-se no Feed do Pensar Eco e receba os posts por email!

www.pensareco.com

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Frota da Trouw Nutrition passa a ser movida exclusivamente a etanol


Com a campanha “Nossa Frota é Movida a Etanol”, todos os veículos utilizados pela Trouw Nutrition no Brasil, divisão da Nutreco, uma das empresas líderes globais em nutrição animal, passam a usar exclusivamente etanol a partir de dezembro. São cerca de 160 carros utilizados pelos profissionais da empresa, principalmente da equipe de campo que, juntos, deixarão de utilizar mais de 430 mil litros de combustíveis fósseis por ano.

A ação faz parte do braço brasileiro do programa global de sustentabilidade Nuterra, que objetiva estabelecer a estratégia de sustentabilidade da empresa e todas as suas unidades. 

“Esse programa está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, que abordam os impactos econômicos, sociais e ambientais por toda a cadeia de valores. Nada mais eficiente do que usar essa solução que vem do campo para também utilizá-la no campo”, explica Letícia Hanser, analista de meio ambiente e segurança do trabalho da Trouw Nutrition.

Ser renovável, limpo e autossustentável estão entre as principais qualidades do etanol. O passo seguinte da estratégia da Trouw Nutrition é valorizar esses benefícios incentivando todos os colaboradores da empresa a também usarem essa opção energética em seus veículos fora do ambiente do trabalho. Para isso, a empresa implementa uma campanha de comunicação visual, incluindo um vídeo para as redes sociais, a utilização de adesivos nos carros da companhia, além de mensagens internas reforçadas periodicamente para multiplicação entre os familiares, comunidades, parceiros comerciais, clientes e fornecedores.

A emissão de alguns gases dos combustíveis fósseis está entre as importantes causas do aumento do efeito estufa, sendo por isso mais vantajosa a utilização de biocombustíveis como o etanol. Outro benefício é ter não somente uma solução mais limpa, mas também contribuir para o benefício social, a movimentação da economia do etanol e o fomento à indústria sucroalcooleira”, comenta Letícia Hanser.

“Sustentabilidade está no centro das nossas ações e por isso tomamos uma decisão muito simples - adotar o uso do etanol em nossa frota de veículos e incentivar nossos colaboradores, seus familiares, amigos, nossos clientes e fornecedores a fazer o mesmo. Além dos comprovados benefícios para o meio ambiente, fortalece-se o agronegócio. É o agro gerando responsabilidade com o agro, reforçando também os pilares de sustentabilidades social e econômico. Esperamos que a campanha possa incentivar outras empresas a juntar-se a Nutreco nesse exemplo”, destaca Stefan Mihailov, Presidente da Trouw Nutrition para a América Latina.

Alguns números da campanha “Nossa Frota é Movida a Etanol”, da Trouw Nutrition
. Frota envolvida nessa etapa: 160 veículos
. Km rodados por esses veículos: 5,7 milhões km/ano
. Economia de combustível fóssil: 430 mil litros/ano
. Gases causadores do efeito estufa evitados: 1000 ton/ano
. Número de árvores necessárias para retirar da atmosfera a mesma quantidade de gases:  6325 árvores.

SOBRE A TROUW NUTRITION
A Trouw Nutrition é uma das líderes globais em nutrição animal. Suas avançadas soluções de produtos estão na origem da alimentação de milhões de consumidores do mundo inteiro. Presente em 35 países, com vendas em 80 países, a Trouw Nutrition emprega cerca de 11.000 pessoas. Com foco em ciência e tecnologia, a Trouw Nutrition possui 10 centros de pesquisa, localizados em países como Holanda, Noruega, Espanha, Canadá, China, entre outros.
No Brasil, a Trouw Nutrition iniciou suas ativi­dades ao adquirir duas empresas ho­landesas com operações no país: a Selko em 2002 e a Sloten em 2005. Em 2009, adquiriu 51% das ações da Fri-Ribe, uma das principais produtoras de ra­ção completa do Brasil. Após dois anos assumiu o controle total da empresa. Em abril de 2012, adquiriu a brasileira Bellman Nutrição Animal, especializada em suplementos minerais de alta tecnologia para ruminantes. Em dezembro de 2014, adquiriu mais duas empresas no Brasil, em linha com sua estratégia de expandir seus negócios - a Fatec Indústria de Nutrição e Saúde Animal Ltda. (produtora e fornecedora brasileira de premixes e produtos de saúde animal para aves de corte e postura, suínos e gado de leite) e a BRNova Sistemas Nutricionais S.A. (fornecedora brasileira de premixes e nutrição animal principalmente para aves e suínos).
Atualmente, a Trouw Nutrition Brasil desenvolve, produz e comercializa alimentos para várias espécies de animais como camarões, peixes, bovinos de corte e de leite, equinos, aves, suínos, ovinos e cães, entre outros. A companhia conta com sete fábricas estrategicamente localizadas nos estados de São Paulo, Mato Grosso, Ceará e Piauí.



Fonte: TEXTO COMUNICAÇÃO CORPORATIVA

<---conte da="" do="" postagem---="" sua="">

Estudos ligam cada vez mais o clima extremo às mudanças climáticas

Um novo relatório mostra que os estudos publicados desde que o Acordo de Paris foi firmado há dois anos estão ligando cada vez mais as mudanças climáticas a eventos climáticos extremos em todo o mundo. 
Desde a conclusão da cúpula do clima da ONU em Paris, em 12 de dezembro de 2015, cientistas publicaram pelo menos 59 artigos sobre a atribuição de eventos climáticos específicos às mudanças climáticas. Destes, 41 concluem que as mudanças climáticas aumentaram os riscos de um determinado tipo de evento extremo, revela a análise da Unidade de Inteligência Energética e Climática (ECIU).  Alguns detectam um aumento na frequência, outros aumentam a intensidade ou a duração, ou vinculam um impacto particular às mudanças climáticas, ou uma combinação desses efeitos. 

Os eventos meteorológicos estudados abrangem episódios de calor extremo, seca, inundações e ondas de incêndios, e dizem respeito a todos os continentes, exceto a Antártida. Eles abrangem 32 eventos individuais recentes para os quais os riscos aumentaram devido a mudanças climáticas, com outros focando na tendência de longo prazo de riscos crescentes. 

Uma pequena proporção dos eventos climáticos extremos individuais analisados ​​nestes estudos têm um custo quantificado em termos de vidas perdidas ou danos econômicos. A partir destes, o relatório deduziu que, neste pequeno conjunto de eventos, as mudanças climáticas causaram cerca de 4.000 mortes e cerca de US$ 8 bilhões em danos econômicos. Mas o relatório adverte que esses números não podem ser tratados como o "custo das mudanças climáticas".

Richard Black, diretor da ECIU e autor do relatório, disse que a compreensão das conexões entre mudanças climáticas e eventos climáticos extremos está evoluindo rapidamente.  "Apenas alguns anos atrás, era difícil dizer mais sobre qualquer tempestade, seca ou onda de calor além de que era ‘consistente com o que a ciência prevê’. Cada vez mais, os cientistas podem olhar muito especificamente para um sinal de mudança climática em eventos extremos, e fazê-lo muito rapidamente. Este relatório mostra que cada vez mais, estão descobrindo que os eventos específicos são mais prováveis ​​ou mais prejudiciais pelas mudanças climáticas ".

Comentando, a Dra. Friederike Otto, Diretora Adjunta do Instituto de Mudanças Ambientais da Universidade de Oxford, disse que a rápida evolução da ciência na atribuição de eventos está gerando conhecimento cada vez mais útil para os formuladores de políticas. "Estamos agora descobrindo que, para muitos tipos de eventos climáticos extremos, especialmente ondas de calor e chuvas extremas, podemos estar bastante confiantes sobre o efeito da mudança climática", disse ela. "Sejam formuladores de políticas analisando questões locais, como proteção contra inundações, sejam negociadores envolvidas em processos globais sobre alterações climáticas, quanto mais informações sobre como as mudanças climáticas impactam o agora e o futuro, melhores serão as decisões que podem ser tomadas. Este relatório da ECIU mostra o rápido crescimento do conhecimento, e acho que só vai acelerar".

O relatório foi lançado na semana em que líderes mundiais se reúnem novamente em Paris para uma cúpula climática convocada pelo presidente francês Emmanuel Macron, focada na economia da mudança climática.

Sobre
A Unidade de Inteligência Energética e Climática é uma organização sem fins lucrativos que apoia o debate informado sobre questões de energia e mudanças climáticas no Reino Unido. A Grã-Bretanha enfrenta escolhas importantes sobre energia e sobre a resposta às mudanças climáticas, e acreditamos que é vital que os debates sobre essas questões sejam fundamentados em evidências e contextos apropriados.
Nós apoiamos jornalistas e outros comunicadores com briefings precisos e acessíveis sobre questões-chave e ajudamos a conectar indivíduos e organizações no campo com a conversa nacional. Nosso Conselho Consultivo reflete a amplitude do interesse da sociedade em questões de energia e clima. Inclui cientistas do clima, especialistas em política energética e economistas, bem como uma série de outras partes interessadas, incluindo deputados e seus pares. Para mais informações ou para receber nosso boletim diário, visite o site:http://eciu.net/    

Fonte: Aviv Comunicação
<---conte da="" do="" postagem---="" sua="">

IX CBUC abre inscrições para participantes

Interessados podem acessar o site do evento e se inscrever até 19 de julho
O IX Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação (CBUC), realizado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, acaba de abrir as inscrições para o público interessado em participar do evento. Até 19 de julho o cadastramento estará disponível por meio deste link.
Realizado periodicamente desde 1997, é um dos mais importantes fóruns da América Latina sobre áreas protegidas, seus desafios e sua importância para a sociedade. Em suas oito edições realizadas desde 1997, produziu diversos resultados positivos para a conservação da natureza,  como a criação, ampliação e gestão eficiente de unidades de conservação. A nona edição acontecerá entre 31 de julho a 2 de agosto de 2018, em Florianópolis (SC).
“Nesta edição de 2018, O CBUC terá uma programação abrangente, que inclui conferências, palestras e simpósios, além de mostras que possibilitam ao público presente ter contato com iniciativas e projetos inovadores”, analisa a diretora executiva da Fundação Grupo Boticário, Malu Nunes.
Jason Clay, vice-presidente sênior de Mercados e Alimentação do WWF dos Estados Unidos; e  John Amos, geólogo e presidente da organização não governamental SkyTruth são alguns dos palestrantes confirmados. Além deles, também estarão presentes Paula Saldanha, jornalista e ambientalista brasileira; Maurizélia de Brito Silva, gestora da Reserva Biológica Atol das Rocas; Marcos Da-Ré, diretor executivo do Centro de Economia Verde da Fundação CERTI; e Pedro Paulo Diniz, Fundador e CEO da Fazenda da Toca Orgânicos e ex-piloto de Fórmula1.
Os valores da inscrição são de R$ 600 (inteira) e R$ 300 (meia-entrada); até 15 de maio; e entre 15 de maio e 19 de julho os valores passam para R$ 800 (inteira) e R$ 400 (meia-entrada). No dia do evento as inscrições serão R$ 1.000 (inteira) e R$ 500 (meia-entrada), mediante disponibilidade de vagas. As categorias válidas para meia-entrada são: estudantes, idosos, portadores de deficiência, jovens carentes de 15 a 29 anos, doadores de sangue; funcionários públicos de órgãos ambientais; profissionais de ONGs; e proprietários de Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs).
A programação preliminar do IX CBUC está disponível no site www.fundacaogrupoboticario.org.br/cbuc.
Sobre a Fundação Grupo Boticário
A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é promover e realizar ações de conservação da natureza. Criada em 1990 por iniciativa do fundador de O Boticário, Miguel Krigsner, a atuação da Fundação Grupo Boticário é nacional e suas ações incluem proteção de áreas naturais, apoio a projetos de outras instituições e disseminação de conhecimento. Desde a sua criação, a Fundação Grupo Boticário já apoiou 1.528 projetos de 501 instituições em todo o Brasil. A instituição mantém duas reservas naturais, a Reserva Natural Salto Morato, na Mata Atlântica; e a Reserva Natural Serra do Tombador, no Cerrado, os dois biomas mais ameaçados do país.  Outra iniciativa é um projeto pioneiro de pagamento por serviços ambientais em regiões de manancial, o Oásis. 
Na internet:
 Fonte: Central Press
<---conte da="" do="" postagem---="" sua="">
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...